Nos meses de Julho, Agosto e Setembro, é aberto oficialmente a época de escalada ao Monte Fuji, onde cerca de 300 mil pessoas de todas as nacionalidades escolhem essa aventura. Dependendo da trilha escolhida as datas de início são diferentes. A temporada oficial de escalada para 2016 é:

Trilha “Yoshida” de 01/07 à 10/09 e Trilhas “Subashiri”, “Fujinomiya” e “Gotemba” de 10/07 à 10/09. (Fonte das datas: aqui).

monte fuji japao topo nascer sol-10

São 4 as trilhas oficiais para subir o Monte Fuji, para facilitar elas são divididas por cores: Yoshida (amarela), Fujinomiya (azul), Gotemba (verde) e Subashiri (vermelha). A trilha de Yoshida fica na província de Yamanashi! E as trilhas de Fujinomiya, Gotemba e Subashiri ficam na província de Shizuoka. As mais populares são as de Yoshida e Fujinomiya.

São demarcadas 10 estações para subir o Monte Fuji, mas é até a 5ª estação que vai o asfalto, e de onde todo mundo inicia a escalada. Acho que só para os muito loucos ou experientes que começam do pé da montanha na primeira, e é na trilha Yoshida que tem opção de começar da base, da 1ª. As trilhas são demarcadas com cordas e tem placas em japonês, inglês e coreano.

Para chegar até a 5ª estação (início da subida), tem opção de ir de carro e ônibus em Julho, mas em Agosto, que é o pico principalmente pelo feriado de uma semana que temos aqui (geralmente entre 10/8 e 18/8), só é permitido ônibus. 

-> Ônibus para a 5ª estação de todas as trilhas, preços e horários: aqui (em inglês).

COMPARANDO AS TRILHAS:

trilhas mt fuji japao

SOBRE AS TRILHAS:

YOSHIDA (吉田ルート) amarela

É a mais popular e por isso pode ficar um pouco congestionada na temporada de escalada. Tem mais cabanas ao longo do caminho também.  É a 5ª estação mais turística, tem até uma estação de correios e uma casa de câmbio, também há a opção de alugar  cavalos, que sobem até a 7ª estação. Aqui tem um santuário, o Komitake Shrine.

Nessa trilha é possível começar da base da montanha, e na 8ª estação ela junta com a trilha Subashiri. 

O percurso para descer é uma parte feito com a trilha Subashiri e depois por outro caminho da trilha Yoshida, onde desde a 7ª estação até perto da 5ª, a descida é feita praticamente correndo, já que dá para ir escorregando pelas cinzas, em aproximadamente meia hora. É só prestar atenção nas junções do mapa da trilha

O sol nasce deste lado da montanha, então mesmo que não consiga chegar ao topo dá para assistí-lo de outra estação.

MAPA detalhado da trilha Yoshida, subida: aqui e descida: aqui

Como chegar à 5ª estação (Fuji Subaru Line 5th Station): 

– rota: “Fuji Subaru Line” (fica aberta o ano todo, só fecha se a neve atrapalhar)

– ônibus: partem das estações Kawaguchiko, Fujisan e Shinjuku (em Tokyo)

Telefones e preços para reservar as cabanas para dormir: aqui (em japonês)

FUJINOMIYA (富士宮ルート) azul

É a trilha mais curta mas também a mais  inclinada, a partir de 3.000 metros tem rochas pelo caminho. É a segunda trilha mais popular depois da Yoshida. Aqui é possível ter a vista para a bacia de Suruga.

No meio da trilha, dá pra ver a cratera da última erupção na era Hoei (1707) no lado leste do Monte Fuji. Existe até um outro percurso, o Hoei para explorar melhor a área (60 minutos).

A escalada da trilha Fujinomiya é feita atrás da montanha em relação à direção do nascer do sol, então tem menor chance de ver o sol se não conseguir chegar ao topo ou pelo menos estar acima da 8ª estação.

MAPA detalhado da trilha Fujinomiya, subida e descida: aqui (é o mesmo percurso)

Como chegar à 5ª estação:

– rota: “Fujisan Sky Line” (R152), que no inverno fica fechada.

– ônibus: partem das estações Mishima, Shin-Fuji (shinkansen), Fuji e Fujinomiya.

Telefones e preços para reservar as cabanas para dormir: aqui (em japonês e inglês)

Mais informações sobre a trilha de FUJINOMIYA: aqui

SUBASHIRI (須走ルート) vermelha

Junta com a trilha Yoshida na 8ª estação na parte da subida. O percurso para descer, é por outro caminho da trilha Subashiri ainda com a trilha Yoshida, numa junção volta pra trigha Subashiri, onde a partir da 7ª estação até perto da 5ª é feita praticamente correndo, já que dá para ir escorregando pelas cinzas, como já falei na trilha Yoshida. Só prestar atenção no mapa da trilha e placas

MAPA detalhado da trilha Subashiri, subida: aqui e descida: aqui

Como chegar à 5ª estação:

– rota “Fuji Azami Line” (R150), fechada no inverno

– ônibus: partem da estação Gotemba.

GOTEMBA (御殿場ルート) verde

É a trilha mais longa, poucas pessoas se aventuram, sendo recomendada para os escaladores com experiência e alpinistas que já escalaram o Monte Fuji. Tem poucas cabanas ao longo do caminho. Também dá pra ver a cratera da última erupção na era Hoei (1707).

MAPA detalhado da trilha Gotemba, subida: aqui e descida: aqui

Como chegar à 5ª estação:

– rota: “Fujisan Skyline” (R152), fechada no inverno

– ônibus: partem da estação Gotemba.

Tem mais uma trilha, que pode ser feita no pico, no bordo da cratera, a Ohachi-Meguri. São 4 km com tempo aproximado de 1 hora e 30 minutos para dar a volta completa.

MAIS LINKS ÚTEIS:

->-> Telefones e preços para reservar as cabanas para dormir de todas as trilhas: aqui (em inglês).

->-> Ônibus para a 5ª estação de todas as trilhas, preços e horários: aqui (em inglês). Tem preços só de ida, mas compensa comprar ida e volta, que variam entre 1.500 ienes à 3.000 ienes.

->-> Mapa de todas as trilhas juntas: aqui (pdf)

->-> Câmeras ao vivo ao redor do Monte Fuji: aqui

Página Oficial de escalada do Mt. Fuji: aqui (em inglês)

Fontes pesquisadas: 

http://www.fujisan-climb.jp

http://fujisan.rash.jp/

http://www.japan-guide.com

->-> Quer saber mais sobre a experiência de escalar o Fuji-san, o que vestir, levar e outras dicas. Vejam outro post onde conto tudo: Fuji: Escalando o Vulcão Sagrado

Anúncios